segunda-feira, 30 de novembro de 2015

CineKriativa: Esperança Parte 2

Titulo Original: The Hunger Games – Mockinjay Part 2
Direção: Francis Lawrence
Roteiro: Danny Strong, Peter Craig
Elenco: Jennifer Lawrence, Julianne Moore, Josh Hutcherson, Liam Hemsworth, Woody Harrelson, Sam Claflin, Jena Malone, Philip Seymour Hoffman, Michelle Forbes, Willow Shields
Gênero: Ação, Suspense
Distribuidora: Paris Filmes
Duração: 137 min.
Ano: 2015
Classificação

Jogos Vorazes: A Esperança – O Final traz agora o capítulo que encerra a franquia, no qual Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) percebe que os riscos não são apenas por sobrevivência – são pelo futuro.
Com a nação de Panem vivendo a guerra em grande escala, Katniss confronta o Presidente Snow (Donald Sutherland) nesse último episódio. Com a ajuda de seus melhores amigos – Gale (Liam Hemsworth), Finnick (Sam Claflin) e Peeta (Josh Hutcherson) – Katniss parte em uma missão com o grupo do Distrito 13, enquanto arriscam suas vidas para libertar os cidadãos de Panem e planejar a tentativa de assassinato do Presidente Snow, que está cada vez mais obcecado em destruí-la. As armadilhas mortais, inimigos e escolhas morais que aguardam por Katniss vão desafiá-la mais do que qualquer arena que ela tenha enfrentado nos Jogos Vorazes.



Bom Dia Leitores,
Hoje venho com uma resenha especial sobre o filme que estava aguardando ansiosa desde o início do ano: Esperança - Parte II. 

Sou apaixonada por Distopias, acredito que esse é um gênero que nos faz refletir sobre nossa sociedade e sobre o comportamento humano, e o primeiro livro que li nesse gênero foi o livro da Suzanne Collins, que me deixou completamente viciada. Tanto que sai falando para os quatro cantos do mundo como essa história é incrível. Então, eu e meu excelentíssimo estávamos ansiosos para ver essa adaptação no cinema, e quando o filme entrou em cartaz aqui na cidade, corremos comprar nossos ingressos para conferir de perto o final dessa saga épica.


Vou realizar essa resenha um pouco diferente do que costumo fazer com os filmes, pois sendo o final de uma série não quero soltar nenhum SPOILER indevido. Eu mesma antes de ver o filme me retive em ler resenhas sobre o mesmo, porque queria conferir com meus próprios olhos o que teríamos na telona.

Esperança - Parte II faz parte da série Jogos Vorazes, como todos já devem saber, nessa história acompanhamos Katniss Everdeen (minha personagem preferida da literatura) em sua luta contra o sistema opressor da capital. O filme foi baseado no terceiro livro da série e nele finalmente vamos descobrir os resultados da revolução em Panem.


Confesso que estava muito apreensiva com esse filme, torcendo com todas minhas forças para eles não "estragarem" a história, e fico extremamente feliz em anunciar que o filme não me decepcionou em nada, aliás, entre todos os filmes da série, ele é um dos meus favoritos, junto com o "Em Chamas", pois despertou em mim vários sentimentos.



Como tinha lido o livro há algum tempo, não lembrava exatamente de todos os acontecimentos, o que foi bom, pois fui pega de surpresa em várias partes. Inclusive gostei muito de algumas cenas que eles criaram, pois tornou o filme mais dinâmico dando um ar de horror e ação, nos fazendo dar os famosos pulinhos na cadeira no cinema. 

Por outro lado, me emocionei muito, pois a essa altura do campeonato, não tem como não torcer pelos personagens, e confesso que chorei sim em algumas cenas, ainda mais lembrando do que estava por vir, o que me lembra da sensação de ficar com os olhos grudados, aguardando o final tão esperado, parecia uma criança assistindo essa cena. Para mim ela moldou com primor a personalidade da Katniss com sua decisão (quem ver saberá ao que me refiro). E o que me deixou mais feliz e saber que eles não estragaram o final. Eu e meu excelentíssimo estávamos com medo disso, pois esse livro é sim uma história diferente, com um final diferente, que na minha opinião foi totalmente lógico, pois se pensarmos na vida real seria exatamente assim. Em síntese para mim foi perfeito!


Comentando alguns detalhes gerais sobre o filme. Acredito que esse foi o que mais se assemelhou com a realidade que o livro permeia. Afinal, todos estão em guerra, então sim temos muitas pessoas feridas, muitas mortes, muita dor e sofrimento. Outro detalhe a respeito disso que comentamos é como a personagem aparece mais "real" nesse último filme. Ela realmente sofre muito com tudo e não só no âmbito emocional, mas também físico. Inclusive temos o momento em que tudo parece ter acabado, em que não se tem mais pelo que lutar, porém o filme chama-se Esperança, então vocês já devem imaginar o resto.



Sobre o triângulo amorosa entre Katniss, Peeta e Gale, na minha opinião foi muito bem dosada. Esse não é o foco principal da história, e acredito que ficou muito condizente com o livro a maneira como eles abordaram isso.


Sobre os efeitos especiais, acredito que esse seja um dos mais bem feitos. Não tem como não se impressionar com as cenas que acontecem ao ataque a Capital, e realmente somos jogados dentro desse mundo distópico criado por Suzanne.

    
Sobre os atores, Jennifer Lawrence com certeza vestiu o papel de Katniss, não consigo imaginar outra pessoa fazendo isso. Katniss é uma personagem muito forte, por toda sua personalidade e Jennifer conseguiu encarnar muito bem todas as cenas, mostrando as várias facetas de Katniss. Dou destaque a uma das cenas finais, onde a atriz revelou todo seu potencial.

Donald Sutherland com certeza deu um show a parte como presidente Snow, o perfil manipulador ficou evidente em vários momentos pela sua sede de poder.

 

E falando em Poder, não posso deixar de falar da Juliane Moore que como Coin ficou perfeita. Ela foi fria e calculista e demonstrou muito bem a faceta dessa personagem. 


Sobre os garotos, Liam Hemsworth, Gale, infelizmente não me conquistou completamente. Eu esperava um pouquinho mais do ator, porque no livro esse é um personagem chave em várias partes e para mim ele ficou apagado no filme. Agora quem realmente me surpreendeu foi Josh Hutcherson, como Peeta, esse personagem tem uma reviravolta de 360 graus nos livros, e fiquei impressionada como o autor conseguiu colocar isso em prática na telona, tornando tão real que me compadeci várias vezes com ele.


Sobre a trilha sonora, achei linda, e dica: se puderem prestem atenção, pois em várias cenas durante o filme, a trilha da música "The Hanging Tree" toca ao fundo. Essa música é muito especial, ela realmente representa a história e me deu calafrios ver ela nessas cenas.



Concluindo, o final preencheu todas minhas expectativas e não deixou nada a desejar. Porém, indico para quem quiser conhecer, leia o livro antes, pois temos mais detalhes, em seguida assista ao filme assim você estará realmente dentro da história. 

Espero ter conseguido passar um pouco do que assisti para vocês, pois as vezes é complicado passar todas nossas emoções para o papel, então para quem não se convenceu ainda: ASSISTA! 



Para você que é fã de distopias, que gosta de filmes de ação com uma moral especial, com certeza vai virar fã dessa série como eu.

CURIOSIDADES

1. Baseado em ‘A Esperança‘ (Mockingjay), terceiro livro da franquia ‘Jogos Vorazes‘, sucesso mundial da escritora Suzanne Collins.

2. A antes mesmo da estreia do primeiro filme, a Lionsgate planejou transformar a trilogia de livros em quatro filmes. ‘A Esperança‘, foi dividido em dois filmes, seguindo a tendência de ‘Harry Potter e as Relíquias da Morte‘ e ‘Amanhecer‘ – e arrecadando mais dinheiro. ‘Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1‘ estreou em 21 de novembro de 2014, e ‘Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 2‘ em 20 de novembro de 2015.

3. O ator Philip Seymour Hoffman filmou grande parte de suas cenas dos dois últimos longas da franquia, mas havia mais material para ser rodado, o que não aconteceu em função de sua morte no dia 2 de fevereiro de 2014.

4. Francis Lawrence afirmou que devido a algumas sequências de efeitos visuais neste filme serem desafiadoras, ele e os editores começaram a trabalhar nelas antes da Parte 1 ser lançada.

5. O novo logotipo de A Esperança - O Final pode ser encontrado no final de A Esperança -  Parte 1, após os créditos finais.


6. Diversas cenas situadas na Capital foram filmadas em Paris e Berlin.

7. Ao conceder entrevistas, Jennifer Lawrence podia falar muito pouco sobre os filmes, levando em conta que as duas partes foram filmadas juntas.

8. A música-tema do longa é interpretada pelo grupo M83, como é mostrado no trailer final.

9. Inicialmente o título do longa seria Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 2, porém a Paris Filmes decidiu alterar para Jogos Vorazes: A Esperança - O Final.

10. Gwendoline Christie, da série Game of Thrones, ficou com o papel da comandante Lyme, substituindo Lily Rabe, que teve de recusar o trabalho por conflito de agenda.


TRAILER:

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

CineKriativa: A Trilha

Título original: A Perfect Getaway
Elenco: Milla Jovovich, Steve Zahn, Timothy Olyphant , Kiele Sanchez , Chris Hensworth, Marley Shelton
Gênero: Ação, Suspense
Duração: 97 min.
Direção: David Twohy
Roteiro: David Twohy
Distribuidor: Imagem Filmes
Ano: 2009
Classificação

Cydney e Cliff são um aventuroso casal que resolve comemorar a lua-de-mel fazendo trilhas pelas mais belas e remotas praias do Havaí. Caminhando nas selvagens e isoladas trilhas eles acreditam ter encontrado o paraíso. Entretanto, quando se deparam com um assustado grupo de turistas que informa sobre o assassinato de um casal em outra ilha eles passam a discutir um possível retorno para casa. Longe da civilização, todos aparentam ser uma ameaça e ninguém sabe em quem confiar. O paraíso se transforma em um verdadeiro inferno quando uma batalha pela sobrevivência tem início.

Bom Dia Leitores,

Venho hoje trazer a resenha de um filme muito interessante que acabei descobrindo pelas minhas “andanças” na internet. Fiquei interessada nesse filme primeiro pelos atores adoro a Milla Jovovich (Resident Evil), depois de assistir ao trailer fiquei entusiasmada com a história que parecia ser cheia e mistério e muita ação, com lindíssimas paisagens para apreciar. Então, resolvermos assistir e o filme foi realmente uma grata surpresa.



Em A Trilha acompanhamos o casal Cliff (Steve Zahn) e Sidney (Milla Jovovich) em sua viagem de lua-de-mel pelas ilhas paradisíacas do Havaí. Os dois estão em busca de aventura e decidem encarar uma trilha que é feita pelos turistas em Honolulu. No caminho para trilha Cliff decide parar para dar carona para Kale e Cleo,  porém ao ver de perto esse casal, ele repensa a ideia e eles acabam discutindo e se desentendo. 



Chegando a trilha eles começam a subir a montanha e encontram Nick, que os ajuda em um trecho difícil da trilha. Eles seguem juntos até um ponto onde encontram Gina, a namorada de Nick, e veem que os dois são bem excêntricos, pois Nick parece ser algum tipo de “rambo programado para matar” e Gina está nadando nua no rio (deu para entender ne?). 

Enfim, nesse momento eles ficam sabendo que aconteceu o assassinato de um jovem casal perto da ilha e ficam com medo de seguir sozinhos, principalmente após ver que Kale e Cleo estão fazendo a mesma trilha que eles. Cliff e Sidney ficam indecisos entre voltar para casa ou continuar o caminho e sua lua-de-mel, uma decisão que com certeza afetará o destino de todos. 

Sabe aquele tipo de filme que te deixa em dúvida a todo o momento? 
Onde você não sabe quem é o mocinho e quem é o vilão? 
É exatamente assim o filme A Trilha.



O começo do filme segue a técnica “Bruxa de Blair”, com uma filmagem amadora do casamento de Cliff e Sidney e o inicio de sua lua-de-mel (prestem muita atenção nessa parte). Em seguida entramos no filme propriamente dito, que como esperava nos apresenta uma ilha paradisíaca, um verdadeiro paraíso, com paisagens de encher os olhos. Em um terceiro momento somos levados ao mistério, onde começamos a trilha com o casal e encontramos pessoas pelo caminho que podem ser suspeitas ou não dos assassinados, afinal é realmente complicado de descobrir em quem confiar. Em um momento final temos o estouro da ação, onde se inicia a corrida pela sobrevivência e é desvendado o mistério dos assassinatos que me deixou de boca-aberta.




O que falar da atuação desses atores, realmente algo surpreendente, onde fiquei com minha cabeça meio enrolada, porque em cada cena alguém parecia ter as credenciais necessárias para ser o assassino, o que faz a gente ficar com os olhos vidrados na tela até o final.



Eu e o Marcelo ficávamos discutindo o que poderia realmente estar acontecendo por trás de tudo, e vou dizer não é tão simples assim descobrir. Conseguimos desconfiar bem perto do final que foi realmente uma bomba, e que me fez dar tantas estrelas assim para o filme. Muito bem bolado, como fala meu excelentíssimo.



Concluindo um filme recheado de mistério e ação que te faz pensar e ficar apreensivo até o último momento. Super recomendo!

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

A Menina da Neve de Eowyn Ivey

Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581638010
Páginas: 352
Edição: 1ª
Ano: 2015
Classificação
Onde Comprar:
:: Submarino 
:: Saraiva

Alasca, 1920: Um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando um do outro cada vez mais ele, no duro trabalho da fazenda, ela, se perdendo na solidão e no desespero. Em um dos raros momentos juntos durante a primeira nevasca da temporada, eles fazem uma criança de neve. Na manhã seguinte, ela simplesmente desaparece.
Jack e Mabel avistam uma menina loira correndo por entre as árvores, mas a criança não é comum. Ela caça com uma raposa-vermelha ao lado e, de alguma forma, consegue sobreviver sozinha no rigoroso inverno do Alasca. Enquanto o casal se esforça para entendê-la uma criança que poderia ter saído das páginas de um conto de fadas, eles começam a amá-la como se ela fosse filha deles. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam ser, e o que aprendem sobre essa misteriosa menina vai transformar a vida de todos eles.


O livro em uma pergunta:
Ela é a Respostas de suas Orações ou um Estranho e Mágico Sonho?

Bom Dia Leitores,

Hoje trago mais uma resenha feita por minha excelentíssima mamy do livro A Menina da Neve em parceria com a editora Novo Conceito. Espero que gostem e não deixem de comentar.

No livro A Menina da Neve a autora nos conta a história do casal Jack e Mabel que tiveram seu primeiro filho morto ao nascer,e os médicos avisaram que não poderiam mais ter filhos.

Para fugir da piedade dos familiares e amigos mudaram-se para o Alasca, uma região selvagem onde teriam de trabalhar arduamente pelo seu sustento. 

Com o isolamento e o trabalho árduo o casal lembra diariamente a infelicidade de não poder ter filhos, até que certo dia cansada da depressão que os assola Mabel resolve dar um basta e convida Jack a brincarem na neve e percebem que a brincadeira fez muito bem a eles.

No dia seguinte, o casal tem uma bela surpresa ao avistarem uma linda menina que vive escondida na floresta, aos poucos Jack e Mabel fazem amizade com a menina e os três passam a ter momentos felizes, principalmente no horário das refeições e a partir daí o casal aguarda com ansiedade a chegada do inverno, pois no verão a criança parte para lugares frios.

Um ótimo livro onde a autora brinca com a magia e a realidade, transformando a história surpreendente incentivando o leitor chegar logo no final do livro e ver como tudo termina.

O AUTOR
Eowyn Ivey mudou-se para o Alasca ainda pequena e continua vivendo por lá com seu marido e duas filhas. Formou-se com honras em Jornalismo pela Universidade de Western em Washington e fez pós-graduação em Escrita Criativa pela Alaska Anchorage. A Menina da Neve é seu livro de estreia e foi finalista na categoria ficção do Prêmio Pulitzer, em 2013.
Siga também no twitter: @EowynIvey

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Sombras do Medo de Camila Pelegrini

ISBN: 9788565490764
Editora: Arwen
Páginas: 280
Ano: 2015
Gênero: Fantástico/Distopia
Classificação
Onde Comprar:

Em um futuro pós destruição em massa, provocada pelas guerras humanas e desastres naturais - para os quais os humanos também contribuíram grandemente - o mundo é dividido em 5 grandes regiões. Em cada uma delas vivem ordinários e singulares, pessoas com ambições completamente diferentes. Estes dominam o mundo. Aqueles tentam tão somente sobreviver.
E ao viverem dessa forma, a bondade beira à extinção. O caos reina em seu lugar, despertando forças malignas que há muito esperam para serem alimentadas.
A maior guerra de todos os tempos finalmente começa e a humanidade já se encontra em desvantagem.
E em meio a tanto ódio e destruição, será o amor capaz de afastar as Sombras do Medo?

Bom Dia Leitores,
Venho hoje com a resenha de mais um livro nacional, dessa vez em parceria com a autora Camila Pelegrini, li seu livro Sombras do Medo.

Em Sombras do Medo, somos levados a um futuro onde a humanidade luta para sobreviver. Após destruir todos os recursos naturais, as pessoas lutam pelo dia-a-dia, para ter o que comer, e pela água que virou a mercadoria mais valiosa. Nesse mundo a população foi dividida em dois grandes grupos os “singulares” , que determinam a parte rica da população que possuem água e comida em abundância e vivem muito bem, e os “ordinários”, a parte pobre da população que tem que lutar pela sobrevivência, trabalhando constantemente para receber um pouco de alimentação.

Nossa protagonista Anabele é uma ordinária, com um coração muito generoso, e que não entende como a humanidade chegou a tal ponto. Ela vive com sua mãe Amanda, e seu amigo Vicente e eles lutam para sobreviver cada dia como podem. Anabele fica intrigada com o novo forasteiro Henry que chega e não fala nada sobre seu passado, porém parece cativar a todos, ao mesmo tempo que ele lhe encanta, ela sente que existe algo de diferente com essa pessoa.

Como se a situação não estivesse ruim o suficiente, eles começam a sofrer ataques de grandes sombras pretas com formas de pássaros, que matam as pessoas que cruzam o caminho. Porém, essa nova ameaça não vai selecionar entre ricos e pobres. Será que a humanidade vai conseguir se reunir e ultrapassar suas diferenças para vencer esse mal? Ou será que realmente chegou nosso fim?



MINHAS IMPRESSÕES

Vocês já devem saber como sou fascinada por distopias. Devorei Jogos Vorazes, Divergente, Starters, Correr ou Morrer e outros que tenho aqui em casa, e o que mais me fascina nesse tipo de história e a forma como elas nos fazem repensar nossa maneira de viver. Ao saber do livro Sombras do Medo da Camila e ver várias resenhas positivas, fiquei ansiosa para ler, pois sendo nacional e desse estilo que tanto gosto, esperava encontrar uma grande história. Infelizmente nem todas minhas expectativas foram atendidas.

Achei interessante o mundo criado pela Camila, principalmente pelos pontos comentados por ela, como a preservação do meio-ambiente. E isso me levou a pensar imediatamente na situação que vivemos hoje em dia, nosso planeta realmente está gritando por ajuda, resultado disso as várias chuvas que vem acontecendo, o sol em alguns lugares que parece não findar, furacões, tsunamis, terremotos. Precisamos de mais o que, para ver que algo está errado? Sem contar nas tragédias horríveis que vem acontecendo como em Minas Gerais. Sinceramente, não entendo como algumas pessoas podem ainda não ligar para essas questões, e não falo somente do governo, porque nós mesmos ajudar com pequenos gestos, por exemplo, fico indignada ao ver pessoas jogando lixo na rua, custa tanto guardar e descartar no local correto? Enfim, desculpem meu desabafo, porém acredito que esteja na hora de todos se ligarem antes que seja tarde. 

Continuando a resenha... Fiquei muito feliz ao ser apresentada a essas questões iniciais, o que me fez dar pontos para autora, por levantar esses temas tão importantes.

O livro é narrado em terceira pessoa, e acompanhamos a parte “ordinária” do mundo pelos olhos de Anabele, e a parte “singular” pelos olhos do presidente.

Infelizmente a escrita da Camila não me prendeu totalmente, tive dificuldades com essa leitura. Sentia falta de mais ação, mais informações sobre tudo que estava acontecendo, porque na maior parte do livro estamos acompanhando a protagonista e era tudo muito monótono, até mesmo as cenas onde o mundo parecia desabar, não tinha aquele brilho que faz a gente querer devorar o livro.

Ressalto a criatividade da autora em criar esses "seres" e da origem dos mesmos, porém acredito que ela poderia ter trabalhado mais nessa parte. Gostei muito da ideia da divisão da sociedade, porque se pensarmos atualmente já somos divididos, não fisicamente, mas de várias outras maneiras, os que tem muito e os que trabalham para sobreviver. Também achei que faltou um pouco mais de explicação sobre os outros lugares que comandavam, pois temos apenas umas breves demonstrações dos outros líderes sem saber exatamente o que está acontecendo nos outros cantos do mundo.

Os personagens foram bem criados e explorados. Gostei muito da protagonista, acreditei nas suas ações, e torci por ela, é uma personagem forte e ganhou minha simpatia por completo. A mãe dela também me convenceu totalmente e consegui ver alguém trabalhadora tentando sobreviver. O pequeno triângulo amoroso criado foi interessante, e fico agradecida por ela não ter perdido o foco nisso, enquanto o amigo de Anabele é totalmente protetor e decidido. Henry é o cara que faz o mundo balançar. Porém, confesso que nenhum conseguiu minha total simpatia.

O final infelizmente a meu ver deixou a desejar, porque acostumada com esses livros desse gênero é realmente difícil você ter um "felizes para sempre". Acho que faltou algo mais real.

Concluindo é um livro legal, com um enredo interessante para se tratar nos dias de hoje e personagens bem construídos. Para quem gosta do gênero vale a pena conferir.

SOBRE A AUTORA
Com um sonho na cabeça e uma caneta na mão, Camila Pelegrini (21 anos), estudante de direito e professora de inglês, criou um mundo pela primeira vez. 

A mais nova escritora é de Mogi Guaçu e é uma consumidora assídua de livros, o que chega até a ser um vício (um dos bons é claro). 

O livro Sombras do Medo é o primeiro publicado e ela já trabalha em suas próximas obras.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

CineKriativa: 1408

Direção: Mikael Hafstrom
Elenco: John Cusack, Samuel L. Jackson, Mary McCormack, Jasmine Jessica Anthony, Christopher Carey.
Gênero: Terror
Distribuidora: Imagem Filmes
Ano: 2007
Classificação

O hotel Dolphin convida você a ficar em qualquer um dos seus lindos quartos... exceto um. Se você é uma daquelas pessoas que só acredita no que vê, vai mudar de idéia. Prepare-se para entrar no quarto 1408!
Mike é um grande escritor, famoso por desvendar eventos paranormais de lugares ditos mau assombrados. Seu próximo desafio é o quarto 1408 do Hotel Dolphin, um lugar onde ninguém se atreve a entrar há anos. Apesar dos inúmeros avisos do gerente do hotel para não entrar no quarto, Mike tem uma missão a cumprir. Será que ele vai conseguir sobreviver a esta noite?



Bom Dia Leitores,

Trago hoje para vocês a resenha de um filme que faz anos que eu estava afim de assistir. Adoro os filmes do tio “King” e acho que já assisti quase todos, e sempre que vi a capa desse filme “1408” ficava me mordendo para assistir, porém sempre por alguma razão ou outra não conseguia,e  finalmente mês passado eu e o Marcelo conseguimos ver mais essa obra do mestre do terror que digo não deixou nada a desejar.


“1408” é o número do quarto do Dolphin Hotel, onde aconteceu 56 mortes, e onde ninguém que entra nesse quarto dura mais que uma hora, sem cometer algum tipo de suicídio terrível. Mike Enslin está prestes a provar isso.

Mike é escritor, e seus livros giram em torno de fenômenos paranormais que ele busca em hotéis mau-assombrados. Apesar de escrever sobre isso Mike não acredita, pois nunca presenciou nada que o leve a acreditar na vida após a morte. Quando recebe um convite para se hospedar no Dolphin Hotel, exatamente no quarto 1408, ele começa a investigar e decide ir até Nova York verificar de perto essa história.


Ao chegar no hotel Mike conversa com o gerente Gerald Olin que tenta o persuadir de qualquer forma a não entrar naquele quarto, pois ele é “maligno”. Mike cansado de histórias de terror insisti e diz que se o gerente não quiser hospedar ele no quarto ele pode processá-lo. Sem mais alternativas Gerald leva Mike até o quarto que a princípio parece ser um quarto normal como qualquer outro. Porém, quando o antigo relógio toca uma musiquinha macabra e inicia um cronômetro de uma hora a coisa realmente começa a ficar “divertida”.

Sempre fico impressionada com a criatividade do King,  que para quem conhece sabe que você ama os filmes dele ou odeia, porque sim são muito loucos. Não é diferente com esse. King nos leva a um suspense terrível, onde ficamos apreensivos, pois sabemos que é impossível se ter um final feliz (apesar de vários momentos eu torcer para isso).


Fiquei impressionada com a jogada no meio do filme, que foi coisa de mestre e ficávamos nos perguntando o que era realidade e o que era fantasia, uma coisa de deixar a pessoa maluca mesmo.

A atuação foi muito bem realizada, adoro o Samuel Jackson e muitas vezes fiquei me perguntando se ele não tinha alguma coisa a ver com toda a história que estava ocorrendo. 


O cenário é relativamente simples, apesar de algumas tomadas externas a maior parte da história se passa dentro do quarto, agora você se engana se acha que isso torna o filme monótono, ao contrário o sentimento de claustrofobia e pânico crescem a medida que os minutos vão passando e o desespero aumenta quanto vemos que não tem como sair.

Concluindo outra obra espetacular do tio King que recomendo para todos os fãs do gênero, quem gosta de filmes de suspense e mistério com certeza vai gostar de 1408!




CURIOSIDADES

1. A inspiração de Stephen King para escrever a estória que gerou 1408 foi uma série de reportagens publicadas sobre o parapsicólogo Christopher Chacon, que investigou um quarto mal-assombrado no hotel Del Coronado, na Califórnia. 

2. A atriz Kate Walsh foi contratada para 1408 , mas teve que desistir da personagem devido a conflitos de agenda com a série de TV em que atuava, "Grey's Anatomy". Em seu lugar foi contratada Mary McCormack. 

3. Há diversas referências ao número 13 ao longo do filme. Uma delas é o próprio título, cuja soma dos números dá exatamente 13. 


E vocês já assistiram?
Querem assistir?



segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Fragmentados de Neal Shusterman

Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581635194
Ano: 2015
Páginas: 320
Edição
Gênero: Distopia
Classificação
Onde Comprar:
Em uma sociedade em que os jovens rejeitados são destinados a terem seus corpos reduzidos a pedaços, três fugitivos lutam contra o sistema que os fragmentaria.

Unidos pelo acaso e pelo desespero, esses improváveis companheiros fazem uma alucinante viagem pelo país, conscientes de que suas vidas estão em jogo. Se conseguirem sobreviver até completarem 18 anos, estarão salvos. No entanto, quando cada parte de seus corpos - desde as mãos até o coração - é caçada por um mundo ensandecido, 18 anos parece muito, muito longe.

O vencedor do Boston GLobeHorn Book Award Neal Shusterman desafia as ideias dos leitores sobre a vida: não apenas sobre onde ela começa e termina, mas sobre o que realmente significa estar vivo.



Bom Dia Leitores,
Trago hoje mais uma resenha em parceria com a editora Novo Conceito feito pela minha excelentíssima mamy. O livro da vez é o Fragmentados, e confesso que ainda quero conhecer essa história com meus próprios olhos, pois adoro distopias e essa parece ser uma história maravilhosa. Enquanto não consigo me desvincular das leituras atuais, deixo a opinião da mamy para todos, espero que gostem e não esqueçam de comentar.

No livro Fragmentados, entramos de cabeça em um mundo onde a lei da vida é posta a prova. O aborto é proibido, porém uma nova lei é criada pela sociedade, se os pais não quiserem mais seus filhos, eles tem até os 18 anos para mandar eles para o programa dos Fragmentados, onde eles serão mortos e seus pedaços serão utilizados para transplantes em hospitais. E nesse mundo que encontramos Connor e Risa, dois adolescentes que sofreram com esse processo.

Connor é um adolescente de treze anos, muito rebelde não segue qualquer disciplina, então será mandado para fragmentação, o processo pelo qual os corpos das pessoas são reduzidos a pedaços. Connor não aceita essa prática apoiada pelo governo,e foge numa alucinante jornada.

No caminho Connor encontra Risa, que também está em fuga, pelo mesmo motivo. Ela também está no programa de fragmentação, e a partir desse momento eles formam uma dupla peculiar, Connor com sua teimosia e indisciplina, Risa com sua inteligência e paciência.

Nessa fuga ensandecida, eles encontram outros adolescentes, que também estão no programa de fragmentação e precisam correr por suas vidas. Será que eles vão conseguir escapar?

Um ótimo livro, onde o autor usa a ficção para apresentar o transplante de órgãos. Nesse caso, os médicos não curam órgãos doentes, e sim transplantam órgãos sádios retirados dos fragmentados. 

Uma realidade não tão distante da nossa, onde nós colocamos a pensar sobre o real significado da vida.

SOBRE O AUTOR
Neal Shusterman já escreveu mais de 30 livros premiados para jovens e adultos, incluindo Full Tilt, a Trilogia Skinkacker, Unwholly, Bruiser e The Schwa Was Here, que recebeu o Boston Globe-Horn Award como melhor livro de ficção. 

Ele também escreve roteiros para o cinema e a televisão, como Animorphs e Goosebumps. Pai de quatro filhos, Neal vive no sul da Califórnia.

Saiba mais sobre o autor em storyman.com