sábado, 28 de julho de 2018

Explicações do Sumiço e Bienal de São Paulo

Bom Dia pessoal,

Sei que faz um tempo que não apareço por aqui e peço mil desculpas.

Acabei me envolvendo com diversos outros projetos nos últimos meses e tive que deixar meu querido blog um pouquinho de lado. Explico melhor, decidi dar uma atenção especial para minha carreira de escritora e encarar as seleções das Antologias. 

Com imenso prazer posso dizer que fui selecionada para algumas e que elas já estão dando seus frutos. Estou muito feliz com isso e vou contar tudinho para vocês em outro post.

Hoje queria dar maiores explicações e dizer que VOU PARA BIENAL DE SÃO PAULO!

Estou muito feliz com isso, pois moro no sul do país e ir para Bienal é um evento raro para mim, pois tenho que pagar hospedagem, passagem, conciliar folgas e nem sempre temos dinheiro para tudo isso. Eu não conheço São Paulo e nunca fui na bienal de lá(óbvio), então estou mega empolgada. Além disso, dessa vez não vou somente como leitora, mas como escritora também, participando de dois eventos especiais relacionadas as antologias que participei.

Vou deixar as datas abaixo para quem quiser ir me ver, me dar oi, me abraçar e pegar um mimo especial.

DIA 04/08 às 17:30hs - Estarei participando do Encontro Romance de Época da Editora The Books que é relacionado a Antologia Romance de Época da qual fiz parte e está maravilhosa.


DIA 05/08 às 12:30hs - Estarei participando da Sessão de Autógrafos da Antologia Relacionamentos Virtuais na estande da The Books.


Para quem for me ver fiz um mimo especial, que são esses marcadores.


Por enquanto é isso pessoal, mas juro que vou tentar me programar para não deixar as coisas tão paradas por aqui, tentarei trazer notícias pós Bienal, dos livros que estou lendo e principalmente dos meus trabalhos que tem saído por ai. Espero que gostem e por favor não me abandonem.

sexta-feira, 20 de abril de 2018

O Temor do Sábio de Patrick Rothfuss

Olá pessoal, tudo bem? Aqui é o Marcelo, e hoje vou falar um pouco do último livro que li, O Temor do Sábio, de Patrick Rothfuss! Este é o segundo livro da Trilogia “As Crônicas dos Matador de Rei”. Para minha infelicidade, e tenho certeza que de muita gente também, o autor ainda não lançou o terceiro livro…

Por conta de não ter a continuação ainda eu me demorei um pouco mais na leitura deste livro. Sei que tem gente que faz aquelas metas de tantos livros por mês, por ano, eu já pratiquei tais métodos em algumas épocas. Mas eu quis saborear o livro de maneira mais lenta, fiquei alguns meses com ele na minha cabeceira. Que moda é essa agora que esses autores tem de ficar torturando a gente né, lança logo tchê!

Enfim, nesse segundo livro acompanhamos novamente os relatos de Kvothe, suas aventuras na juventude, as conquistas, os estudos e os perigos pelo qual passou.

Como de costume ele arrumou confusão na Universidade, porque Ambrose, filho de um rico barão, simplesmente não vai com a cara dele, e os dois estão sempre procurando maneiras de um irritar o outro.

Kvothe continua nutrindo sua paixão pela misteriosa Denna, que vem e vai ao sabor do vento, mas parece que nesse livro ele avançou um pouco na conquista do coração da bela moça. Aprendemos que, apesar de estar sempre acompanhada, ela é um pouco arisca quanto a relacionamentos sérios, e por isso a dificuldade de Kvothe se aproximar dela, justamente porque os dois sabem que tem algo mais entre eles.

Nesse segundo volume a história não se foca apenas nos estudos, por conta de algumas confusões na universidade, Kvothe é “aconselhado” a tirar um semestre de folga, de “livre e espancada” vontade! E assim ele viaja até a longíqua Vintas, onde se colocará sob as ordens do maer Alveron, uma espécie de nobre que comanda a região, e que possivelmente é mais rico que o próprio rei!
Patrick Rothfuss

Ao cair nas graças do maer, Kvothe começa a desfrutar de alguns privilégios em sua corte, e acaba por salvá-lo de um atentado usando suas habilidades de arcanista. Vendo como o rapaz pode ser útil, o maer lhe pede que lidere um grupo de mercenários em uma missão para acabar com um bando de salteadores que tem roubado os impostos recolhidos.

E nessa missão, nas profundezas da floresta, ele vai conhecer Feluriana, uma criatura que faz parte dos Encantados, seres mitológicos que muitos julgam ser lendas! Ela é conhecida por matar os homens de tanto fazer sexo, porém com ela Kvothe irá aprender muitas coisas (em vários sentidos hehehe)!


Ele também conhecerá Tempi, um mercenário ademriano, e viajará com ele até seu povo, onde aprenderá a Ketan, uma espécie de arte marcial secreta de Ademre! É muito interessante essa parte porque esse povo se comunica predominantemente por sinais, usam muito pouco a fala, como se fosse a linguagem de LIBRAS. Então Kvothe terá de lidar com um idioma diferente, e também com a hostilidade dos ademrianos, que não acham digno que um forasteiro seja iniciando nos mistérios da Ketan!

Enfim, são muitas e muitas aventuras, e pra variar, o livro termina com aquele tipo gancho que nos deixa a certeza que o próximo será melhor ainda! Só espero que seja lançado logo…


É isso por hoje pessoal, essa bela obra de fantasia merece um lugar de destaque na minha estande e no meu coração, é uma história apaixonante, não dá pra desgrudar! Eu tive que fazer força pra ler o livro devagar haha mas até a próxima então!
"Hmm, sinto a Força presente
no jovem Kvothe!"

sexta-feira, 13 de abril de 2018

CineKriativa - O Jogador Número 1


Bom dia pessoinhas, tudo bem com vocês? Aqui quem escreve é o Marcelo, e vamos falar um pouco hoje da adaptação cinematográfica de “O Jogador Número 1”, baseada no livro homônimo de Ernest Cline!

Apenas um aparte, antes de começar mesmo a análise: eu estava de aníver esses dias (05/04), então, um viva para mim! Hehehe Não me importo de receber os parabéns atrasados, podem me felicitar, não sou daquelas pessoas “ai, ui, não gosto de fazer aniversário”, eu gosto sim, de ser parabenizado, abraçado, ganhar presente, comer porcaria, e se tudo der certo, vou comemorar pelo menos mais um 100 desses!

Enfim, vamos ao papo sério agora, ou quase isso. Pra quem não lembra, eu fiz análise do livro Jogador Número 1 aqui no blog, e simplesmente adorei a história, o cara que escreveu esse livro é um gênio! São tantas, mas tantas referências sobre cultura pop dos anos 80/90, que a gente nem dá conta de absorver tudo numa lida só, eu parava e voltava várias vezes pra saborear melhor a leitura!

Uma coisa interessante, e que fica bem claro no livro, é que o escritor é fãzasso de Steven Spielberg, e adivinhem quem dirigiu o filme? Pois é, o cara se deu bem mesmo, deve ter até molhado a tanga quando papai Spielberg assumiu a produção! 
Gigante de Aço faz sua aparição!

A história conta sobre um futuro distópico onde nossa realidade é meio “lixosa”, literalmente. Ninguém tem vontade de viver no mundo real, mas para alegria e alívio desse povo, um gênio da informática chamado James Haliday criou um universo virtual batizado de “Oásis”. E a grande maioria das pessoas prefere viver no mundo virtual à encarar a realidade desanimadora.

Acontece que o tal Haliday já é falecido, mas ele deixou um presentinho para os usuários do Oásis: uma trilha de charadas que leva a um Easter Egg escondido dentro do sistema virtual, e quem o encontrar simplesmente herda a propriedade do Oasis, com todos os bônus que ele traz junto!

Dentro desse contexto temos o protagonista, Wade Watts (Tye Sheridan), que no ambiente virtual usa o nick Parzival, um jovem sem uma vida muito empolgante na realidade, mas que é fissurado pela biografia de Haliday e tudo que envolve o Oásis, e um dos “gunters” (egg hunter, ou caçador do ovo mesmo).
Olhando de fora é muito patético ver alguém jogando hahaha

Junto dele temos seu maior amigo virtual, Aech, uma espécie de super mecânico do mundo virtual, e a charmosa Art3mis, uma garota misteriosa por quem Parzival tem uma quedinha, mesmo sem conhecê-la pessoalmente.

Porém há também uma mega corporação, a IOI, chefiada por um empresário sem escrupulos, Nolan Sorrento, que é a segunda maior no ramo, e está disposto a usar qualquer meio disponível para assumir o controle do Oásis e dominar o mercado (e o mundo talvez).

O filme traz inúmeras referências a tudo que vocês puderem imaginar, desde personagens de Street Fighter e da DC Comics, até carros famosos do cinema, como o Delorean de “De Volta para o Futuro”, o Ford Falcon de “Mad Max” e o furgão de “Esquadrão Classe A”. Temos também dinossauros, King Kong, e uma cena muito, mas muito interessante (uma das melhores do filme) baseada num clássico de Stephen King!
Como diria Didi Mocó: PORRADA!!!

Em relação ao livro, algumas coisas mudaram um pouco, e algumas que não gostei: no livro temos algumas mortes trágicas na corrida pelo Ovo de Haliday, o que dá um clima tenso à história, e no filme não teve isso, ficou aquele clima “filminho da sessão da tarde”, sabe? Outra coisa que me incomodou um pouco foi o relacionamento entre Parzival e Art3mis: no livro ele só vai conhecer ela pessoalmente (e matar a curiosidade sobre como ela é na vida real) bem no final da história! Já no filme, na primeira meia hora eles já se veem cara a cara, o que tira um pouco daquela mística dos relacionamentos virtuais, em que você vai conhecendo cada aspecto da pessoa, exceto o físico, e aprende a gostar dela pelo que ela é! (ou não…)


Mas num geral eu curti muito o filme! Tem uma cena de batalha campal que eu não dei conta de ver tudo que tinha na tela, vou ter que assistir mais umas três vezes pelo menos pra destrinchar aquela sequencia e identificar tudo que apareceu, mas foi bem divertido!


É isso pessoal, espero que tenham curtido a análise, e nos vemos na próxima!
Tio Darth se atrasou no salão
de beleza e acabou perdendo
as filmagens!