quarta-feira, 20 de julho de 2016

Cinekriativa: Como Eu Era Antes de Você

Título Original: Me Before You
Gênero:Drama, Romance
Duração: 110 min.
Origem: Estados Unidos
Direção: Thea Sharrock
Roteiro: Jojo Moyes
Distribuidor: Warner Bros.
Ano: 2016
Classificação: 

Rico e bem sucedido, Will (Sam Claflin) leva uma vida repleta de conquistas, viagens e esportes radicais até ser atingido por uma moto, ao atravessar a rua em um dia chuvoso. O acidente o torna tetraplégico, obrigando-o a permanecer em uma cadeira de rodas. A situação o torna depressivo e extremamente cínico, para a preocupação de seus pais (Janet McTeer e Charles Dance). É neste contexto que Louisa Clark (Emilia Clarke) é contratada para cuidar de Will. De origem modesta, com dificuldades financeiras e sem grandes aspirações na vida, ela faz o possível para melhorar o estado de espírito de Will e, aos poucos, acaba se envolvendo com ele.


Bom Dia Leitores,

Hoje trago minha impressão sobre um filme que esteve em alta no último mês. Estou falando do drama-romance Como eu era antes de você da Jojo Moyes. Consegui ler o livro antes de ver o filme e fazendo uma comparação entre ambos, posso falar que o filme me agradou bastante e acredito que eles foram bem fiéis quanto a história criada pela Jojo.



O filme começa mostrando a vida do rico aventureiro Will e quando ele sofre o trágico acidente de moto que acaba o deixando tetraplégico. Em seguida, somos levados a vida de Louisa Clark, que trabalha em um pequeno café na cidade e acaba sendo demitida. Tendo que ajudar em casa Lou tem que achar outro emprego, porém suas habilidades e experiências são limitadas. Quando aparece uma oportunidade de cuidar de um deficiente Lou decide tentar a sorte, mal ela sabia que essa pessoa é alguém que irá virar sua vida de cabeça para baixo.


Não sei por onde começar a resenha essa linda história, para mim foi perfeito o jeito que eles adaptaram para telona. Os atores foram simplesmente espetaculares. Sam conseguiu transmitir toda agonia de Will e de sua vida, enquanto Emilia me surpreendeu horrores, acostumada a vê-la no seriado Guerra dos Tronos, como alguém corajosa e destemida, foi engraçado ver ela interpretando alguém como Lou, com suas loucuras e gentilezas. 

Infelizmente dois personagens que não conseguiram me convencer foi a irmã de Louisa e seu namorado, eu imaginava eles completamente diferentes dos atores e para mim infelizmente faltou um pouco para os dois. Porém, como eles fazem papéis secundários, não foi algo que me afetou muito. Agora, o ator que interpretou o terapeuta de Will, que acabei esquecendo o nome, também foi alguém que para mim ficou perfeito.


O figurino é algo que não posso deixar de comentar também, no livro temos uma ideia do senso de moda da Lou, que é realmente peculiar, e eles conseguiram transcrever isso para o cinema e ver as roupas que ela usa realmente é algo de encher os olhos.  Passando do figurino ao cenário, achei lindo aquele castelo, realmente como Jojo descreveu no livro.



Como em toda adaptação algumas cenas foram sim deixadas de lado, porém a maioria e a essência da história foram contadas com primor. Não posso deixar de comentar a cena em que Lou vai fazer a entrevista de emprego e que realmente foi colocada toda em prática, o que me fez dar boas risadas. Algo que vale a pena ver.


Essa história nos faz refletir sobre muitas coisas, principalmente em como levamos nossas vidas, como as vezes nos acomodamos e deixamos ela “passar” sem realmente viver, uma mensagem que achei maravilhosa e que tento colocar em prática todos os dias.

Concluindo, é um ótimo filme, com doses de romance e comédia, que vai te fazer rir e chorar. Altamente recomendado.



CURIOSIDADES
1. O filme é baseado no livro Como Eu Era Antes de Você, de Jojo Moyes, que por sinal, assina o roteiro.

2. Quando o primeiro trailer do longa foi lançado, a vendagem do livro aumentou significativamente. Nos Estados Unidos, a obra saiu da 141ª posição para o 3° lugar dos mais vendidos.  

3. No livro, a personagem Lou tem uma tatuagem de abelha. Curiosamente, a atriz Emilia Clarke tem uma abelhinha tatuada no dedo.

4. Emilia Clarke e Charles Dance trabalharam na série Game of Thrones, mas não atuaram juntos.

TRAILER:

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Procura-se um marido de Carina Rissi

ISBN: 9788576861980
Editora: Verus
Páginas: 474
Ano: 2015
Gênero: Chick Lit
Classificação: 
Onde Comprar:

Alicia sabe curtir a vida. Já viajou o mundo, é inconsequente, adora uma balada e é louca pelo avô, um rico empresário, dono de um patrimônio incalculável e sua única família. Após a morte do avô, ela vê sua vida ruir com a abertura do testamento. Vô Narciso a excluiu da herança, alegando que a neta não tem maturidade suficiente para assumir seu império – a não ser, é claro, que esteja devidamente casada. 
Alicia se recusa a casar, está muito bem solteira e assim pretende permanecer. Então, decide burlar o testamento com um plano maluco e audacioso, colocando um anúncio no jornal em busca de um marido de aluguel. 
Diversos candidatos respondem ao anúncio, mas apenas um deles será capaz de fazer o coração de Alicia bater mais rápido, transformando sua vida de maneiras que ela jamais imaginou.



Bom Dia Leitores,

Hoje tenho o prazer de trazer mais uma deliciosa leitura que fiz de uma escritora nacional que está na minha lista de favoritas. O livro da vez é da querida Carina Rissi, Procura-se um marido. Já havia lido o livro Perdida, e simplesmente me apaixonei pela escrita da Carina. Acabei comprando esse outro há algum tempo, mas não tinha dado a chance para ele até o momento. Foi há algumas semanas que vi uma notícia rondando a internet, falando que Procura-se um marido estava sendo cotado para ganhar uma versão nas telonas. Fanática por filmes, não tive dúvidas que estava na hora de conhecer essa história, que não deixou nada a desejar.

Em Procura-se um Marido acompanhamos a história de Alicia, uma jovem, não tão jovem assim, que só quer saber de curtir a vida, sem responsabilidade nenhuma. Sendo órfã, Alicia cresceu com seu avô Narciso, um rico empresário, que fez de tudo para mimar a neta, tanto que tem medo de a ter estragado um pouco. Com os dias contados, o avô deixa um testamento, onde Alicia terá que aprender de uma vez por todas como se tornar responsável.


MINHA IMPRESSÃO

As histórias da Carina sempre me ganham, pois elas são leves, divertidas e quando você menos espera se pega rindo com alguma peripécia de um personagem. Não foi diferente com esse livro. 

Devo confessar que os primeiros capítulos foram meio “chatos”, afinal estamos acompanhando uma menina mimada, que só quer saber de curtição e acha a vida injusta, porém com o passar das páginas e dos dias, conhecemos uma outra Alicia, gentil e carinhosa, o que achei sensacional, pois o amadurecimento dessa personagem é nítido. Carina conseguiu me fazer passar da fase “não aguento essa menina” para “nossa, que garota corajosa” , se fossemos avaliar só por isso já valeria a leitura, mas claro que tem muito mais.

Com sua dose de comédia, acompanhamos Alicia virando uma “suburbana da noite pro dia” e ver a infelicidade da garota pegando o ônibus, ou se escandalizando ao receber sua primeira folha de pagamento ao ver o absurdo dos impostos que são cobrados, realmente me fez dar muita risada.

Os capítulos do livro são curtos, e apesar de ter 400 e tantas páginas, a história flui de uma maneira rápida que nem vemos o seu desenrolar. 

Devo comentar, sobre todo o mistério atrás do testamento do avô que teve seu charme especial na trama, e que para mim agregou uma dose de detetive a história.  Achei fofo como a autora fez alguns símbolos se tornarem premonições, como as lindas borboletas, que dão arrepios em nossa protagonista, mal ela sabe o que esses bichinhos realmente 
querem dizer.

Não posso deixar de comentar também, sobre as “participações” de vô Narciso na história.  Vocês devem estar se perguntando agora: mas como assim, ele não está morto? Rsrs, leiam e confiram.

Os personagens como já comentei são excepcionais, a personagem principal faz a gente querer devorar o livro em algumas horas, enquanto seus coadjuvantes vem acrescentar boas risadas. O “mocinho” do livro, é uma figura a parte, e demorei para desvendar seu caráter, mas que acabou me pegando de jeito e me fazendo apaixonar mais ainda.

Concluindo uma ótima leitura nacional, uma história divertida, cheia de reviravoltas e com uma boa dose de romance. Espero, sinceramente que eles continuem com a ideia de levar ela para o cinema, eu com certeza assistiria.

SOBRE A AUTORA
Carina Rissi é uma leitora voraz, sempre lê a última página de um livro antes de comprá-lo e tem um fascínio inexplicável pelo tema “amores impossíveis”. Vê nas obras de Jane Austen uma fonte de inspiração.
Quando se desgruda dos livros – tanto dos que lê quanto dos que escreve –, Carina se diverte assistindo a comédias românticas ao lado da família e planejando viagens a lugares exóticos que não conhecerá tão cedo, devido ao seu pavor de avião. 
Ela nasceu em Ariranha, interior de São Paulo, onde mora atualmente com o marido e a filha, após ter vivido uma curta temporada na capital paulista.
É autora de Perdida, Encontrada, Procura-se um marido e No mundo da Luna, lançados com grande sucesso pela Verus e que a tornaram conhecida em todo o país.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

CineKriativa: Deuses do Egito

Título original: Gods Of Egypt
Direção: Alex Proyas
Roteiro: Burk Sharpless, Matt Sazama
Gênero: Aventura, Fantasia
Duração: 95 min.
Origem: Estados Unidos
Distribuidor: Paris Filmes
Ano: 2016
Classificação

Bek (Brenton Thwaites) é um mortal pacato que se considera apenas mais um soldado, e que vive em um Egito ancestral dominado por deuses e forças ocultas. Quando o impiedoso Set (Gerard Butler), deus da escuridão, toma o trono da nação e mergulha a sociedade no caos, o jovem se unirá a outros cidadãos e com o poderoso deus Horus (Nikolaj Coster-Waldau), para formar uma expressiva resistência.



Bom Dia,

Quem acompanha o blog sabe que eu e o Marcelo gostamos muito de mitologia e quando vimos o trailer do filme Deuses do Egito, ficamos muito curiosos, afinal prometia uma bela história, com um ótimo elenco. Demoramos um tempo para conseguir ver o mesmo, porém posso dizer que finalmente assistimos a essa história, que cumpriu sua promessa de ser boa.


Em os Deuses do Egito, somos levados ao Egito antigo, onde humanos e deuses vivem no mesmo mundo. Osíris é o Deus que reina junto aos humanos, e ele está pronto para passar seu legado para o filho Hórus. Porém, Set seu irmão, está cansado de viver no deserto e decide tomar todo o Egito para si mesmo, matando Osíris, e arrancando os olhos de Hórus, o exilando para longe. 


Inicia-se então, uma era de terror, onde nenhum Deus pode se sobrepor a vontade de Set, e todos os humanos devem obedecer sem questionar, construindo várias pirâmides e esculturas em seu nome e de seu pai Rá (o Deus do Sol). Entre esses humanos encontramos Bek(um ladrão), que é apaixonado por Zaya (que acredita muito na força dos Deuses). Não aguentando ficar longe de sua amada, ele decide levar o plano dela a tona, que constitui em roubar os olhos de Hórus e devolver ao próprio Deus, para que ele possa trazer a paz e harmonia novamente a Terra.


Porém, ele não tem ideia das dificuldades que vai enfrentar, sendo a principal delas, ensinar aos Deuses como um pouco de humanidade pode mudar o mundo.

Gostei do filme, não adorei, mas gostei. Nele conseguimos aprender um pouco mais sobre a mitologia Egípcia e seus Deuses. Não gostei muito de como alguns dos deuses foram representados como por exemplo, a Hathor, talvez por eu imagina-la completamente diferente não conseguiu me agradar. Porém, achei interessante na forma de Anubis e do vale dos mortos. 


Um artifício que achei interessante também, foi como os Deuses são representados um pouco maior que os humanos, o que rendeu algumas cenas engraçadas. Muito interessante também foi a teoria de como a Terra foi criada e o que o Deus do Sol tem que fazer todas as noites para proteger a mesma.


Sobre o trabalho dos atores, só tenho elogios, gostei de todos, principalmente do Gerard Butler que quando aparecia na tela roubava a cena. 




Um ponto que não poderia deixar de comentar e como a vaga para o "céu" era comprada e realmente representada nesse filme. Ao passar para o mundo dos mortos, você precisa ter dinheiro, muito dinheiro, só assim os portões do paraíso são abertos. E achei muito interessante como essa "teoria" foi sendo modificada ao longo do filme, como os valores do que realmente importa são alterados.


Um ótimo filme para quem gosta de mitologia e ação.

CURIOSIDADES

1. A produção marca o retorno do diretor Alex Proyas, que estava longe do cinema desde Presságio (2009).

2. Antes de assumir a direção, Alex Proyas dirigiria a adaptação do poema épico de John Milton, Paraíso Perdido, mas a produção foi cancelada devido ao alto custo.

3. O ator Nikolaj Coster-Waldau está no elenco. Ele é mais conhecido por seu personagem Jaimie Lannister na série Game of Thrones.

4. O roteiro é da dupla Matt Sazama e Burk Sharpless, que escreveram o roteiro de Dracula - A História Nunca Contada (2014).

5. A fotografia principal do filme foi feita na Fox Studios, em Sidney, na Austrália. Muitos dos membros da equipe técnica do filme também tinha trabalhado em Mad Max: Estrada da Fúria (2015).

6. Deuses do Egito teve orçamento de US$ 150 milhões.

TRAILER: