terça-feira, 7 de junho de 2016

O Jogador Número 1 - Ernest Cline

Hello people, how are you? Aqui é o Marcelo (treinando um pouco o inglês) para uma nova resenha. Minha última leitura foi “O Jogador Número 1”, de Ernest Cline. Fazia já ANOS que eu tava de olho nesse livro, sem exagero. Desde a primeira vez em que li a sinopse me interessei, mas sabe como é né, tem livro que é vendido a preço de ouro, então esperei uma das queridas promoções de internet, mas demorou pra sair essa promoção hein...


Na história conhecemos Wade Watts, um jovem usuário do OASIS. O que é o OASIS? É um sistema de imersão virtual, tipo os MMORPG's (pra quem não sabe, a sigla é de Massive Multiplayer Online Role Playing Games, ou RPG's pra jogar de galera na internet). Mas a diferença é que o OASIS é jogado por praticamente TODO O MUNDO. Isso mesmo, ali na história não tem muito essa coisa de “rpg é coisa de nerd”. Todo mundo joga, tem empregos inclusive no mundo virtual, as escolas são no mundo virtual, tudo gira em torno dele.


O tal OASIS foi criado por um gênio da programação e computação, chamado James Halliday. Infelizmente o glorioso Halliday já começa morto na história, mas deixa um legado. Uma mensagem automática para todos os usuários do OASIS, avisando que ele escondeu um “easter egg”, literalmente um ovo, dentro do sistema, e quem encontrá-lo herdará toda sua fortuna.


Imaginem alguém rico como o Bill Gates. Agora coloquem isso na décima potência. Esta é a fortuna de Halliday. Quem não iria querer né? Só tem um probleminha. O universo do sistema OASIS, é literalmente um UNIVERSO. Ele tem planetas, galáxias, sistemas solares, e cópias e cópias dos mesmos. Então como achar um ovo no universo?


A mensagem secreta de Halliday disparou uma nova era no OASIS, a era dos Caça-ovos. Usuários do mundo todo começaram a estudar todos os gostos do inventor do sistema, desde criança, todas suas entrevistas, todos seus programas, tudo sobre ele, para tentar descobrir onde foi escondido o tal “ovo da fortuna”.


Para achar o Ovo, foi deixada uma charada, que leva a uma chave, de bronze. Esta chave abre o primeiro portão, então surge uma nova charada, para uma segunda chave, que abre o segundo portão, e então outra charada, para a terceira chave, que abre o portão final, para enfim alcançar o prêmio.


Após alguns anos, ninguém encontrou sequer a primeira chave. Até que o protagonista, Wade, ou melhor, Parzival, seu avatar no OASIS, a encontra. E seu nome desponta no topo do placar mundial.


Logo depois seus "amigos" e concorrentes, Art3mis e Aech também conseguem a chave!


Como eu sempre gosto de dizer, “Está instalado o caos!!!”. Pessoas começam a ir atrás dele, querendo informações, e estão dispostas a tudo para isso, até mesmo matá-lo, na vida virtual e na vida real!
Ernest Cline mandando um "olhar 43"


Eu particularmente ADOREI o livro porque, dentre os tais gostos do inventor do OASIS, estão toneladas de informações relacionadas aos anos 80. Filmes, músicas, games de atari (que foi o meu primeiro videogame), e ele inseriu esses gostos e preferências nas sua criação, nos planetas do OASIS, então pra quem nasceu naquela época, o livro se torna um convite à nostalgia. E pra quem não nasceu, vale a pena pra conhecer um pouco mais dos míticos anos 80!



E tenho uma novidade quentinha sobre a história! (para mim é novidade, já se sabe isso desde setembro de 2015, mas dane-se, deixem eu ser feliz e achar que é recente!) Eu estava pesquisando no google a imagem de capa do livro para colocar aqui na resenha, e tive a agradável surpresa de descobrir que haverá filme baseado no livro!!! A estreia é prevista para dezembro de 2017, e será dirigido por ninguém menos que Steven Spielberg! Fiquei muito animado com isso, eu realmente curti esse livro!


É isso gente, não quero dar muito spoiler, mas fazia tempo que eu não tinha uma leitura tão gostosa. Não tenho tido muito tempo pra ler, mas esse foi aquele tipo de livro que te faz brigar com o sono pra ler mais um capítulo! Simplesmente fantástica a história! Até a próxima gente!
Marcelo Brinker


5 comentários:

  1. Oi querido,
    Agora entendi o porque de tanta fascinação nessa história, não achei que se tratava de video-games. Enfim, quero ver como vão fazer esse filme pelo que li acho que será no minimo interessante.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Uau!
    Não conhecia esse livro, mas depois da sua resenha já quero ler.
    Ainda mais porque se o Spielberg vai adaptar como filme, a história é realmente muito boa.
    E eu, no caso, sou igual a você. Amoooooooo os anos 80.
    Adoro histórias que tenham referências a eles.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E são muitas referências mesmo, principalmente à filmes clássicos como Goonies e talz. Me senti criança de novo lendo o livro!

      Excluir
  3. Eu não conhecia esse livro, mas achei o enredo bem interessante e adorei a sua resenha! É uma ótima indicação sim! <3
    Mil Beijos!
    http://pensamentosdeumageminiana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Gostei da resenha Marcelo. Confesso que não é o tipo de leitura que aprecio, mas achei o mote da história bem interessante. Abraço!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir